terça-feira, 31 de março de 2009

Pedro procura Inês pelas ruas de Lisboa

No TVI 24:

«Cartazes de amor platónico enchem coração da cidade. Cavaleiro dos tempos modernos procura a sua amada É uma história de amor platónico. É um Pedro enamorado por Inês. É um fado que os fez desencontrar. Pedro procura Inês.
Pelas ruas de Lisboa Pedro afixou cartazes de amor na esperança de voltar a encontrar a amada. Todos os dias escreve no Blogue e aguarda um contacto da mulher que lhe enche o coração.
Rui Faustino, nome verdadeiro, conheceu Inês há 10 anos. Há três perdeu-lhe o rasto. Ela mudou de telefone, morada e trabalho. Há poucos meses, a chama do amor reacendeu-se depois de os olhares se terem de novo cruzado. Ela ia já no autocarro, ele correu atrás «desalmado» durante quatro paragens.
De Santa Apolónia, Lisboa, Pedro relembra a última vez que avistou Inês. Pedro «sente» que Inês lê as mensagens que lhe deixa no blogue e os encontros que marca nos miradouros de Lisboa, em lugares românticos para abraçar o seu amor. Pedro espera sempre. Inês nunca aparece.
Pedro e Inês conheceram-se em Tomar durante a Feira Medieval. Pedro leu o Tarot e o destino de Inês. Mas Inês era amiga dos tempos de liceu de Constança, a mulher com quem Pedro casou. Este «cavaleiro» dos tempos modernos afiança que Inês é a mulher por quem se divorciou e garante que nunca lhe foi infiel.
Certo é que a vida lhes trocou as voltas. Pedro perdeu o rasto de Inês. De Inês nada mais se sabe.»

Se isto não é amor...
Claro que haverá sempre os cínicos a dizer que o homem é louco, que tem uma fixação, que não conseguiu ultrapassar, que.. que.. que...

3 comentários:

Anónimo disse...

Já tinha ouvido falar nesta demanda "Pedro procura Inês" mas só hoje fui ler o blog.
O amor é um sentimento muito bonito e louvável, mas não posso concordar contigo quando dizes que haverá sempre cínicos a dizer que o homem é louco e que tem uma fixação que não consegue ultrapassar.
Primeiro, não se pode dizer que a palavra certa seja "cínicos". Incrédulos talvez. Ou invejosos. Ou descrentes.
Pessoalmente acho que se Inês quisesse ser encontrada já teria dado notícias há muito tempo. Mas só quem está por dentro da história sabe os verdadeiros contornos dela e desta, a ser verdadeira, só Pedro e Inês conhecerão algumas das verdades que escondem de quem os lê.
Se for por amor, desejo que Pedro alcance a Inês que tanto procura.
Se for amor não retribuído ou obsessão, espero que Pedro/Rui apanhe juízo.
De forma simples e directa, é esta a minha opinião sobre este assunto.
Bjocas grandes!
Cris

F. disse...

Uma pessoa faz algo de verdadeiramente ectraordinário e ainda passa por maluco! Se calhar deveria estar em casa a ver novelas, não?

Saudações inesianas

GONIO disse...

Amar e o amor são das coisas que mais sentido dão à vida, que a preenchem, por mais dissabores e mágoas que vão semeando no coração. Mesmo assim, há loucuras que valem a pena. E a tua procura da Inês, por ser tão fora do vulgar, é absolutamente apaixonante (não louca). Oxalá ela corresponda!
Keep walking...