quarta-feira, 29 de abril de 2009

Cantinho do poeta - 53

Um novo poeta aqui no cantinho, desta feita, brasileiro: Manoel de Barros

A maior riqueza do homem
é a sua incompletude.
Nesse ponto sou abastado.
Palavras que me aceitam como
sou – eu não aceito.
Não aguento ser apenas um
sujeito que abre
portas, que puxa válvulas,
que olha o relógio, que
compra pão às 6 horas da tarde,
que vai lá fora,
que aponta lápis,
que vê a uva etc. etc.
Perdoai
Mas eu preciso ser Outros.
Eu penso renovar o homem
usando borboletas.

Incensar

"Um homem chinês dispõe paus de incenso para secarem ao sol na localidade de Feng Gang, na província de Guangdong. Ao longo do calendário chinês, vários tipos de incenso são usados nas várias festividades organizadas. A sua utilização está particularmente ligada aos poderes curativos da medicina tradiciona" (no SOL).

O incenso serve para purificar.
E depois olhar para dentro, meditar.
A este propósito, um interessante texto no Palavras de Osho: "a meditação é simplesmente inútil".

terça-feira, 28 de abril de 2009

O perigo

O ruído

A entrevista de Manuela Ferreira Leite ontem, na SIC, parece que não teve mais nada para além de uma alegada falta de clareza em afastar a possibilidade do bloco central após as eleiçoes legislativas.
Não vi a entrevista.
Já li muita notícia sobre o assunto.
Hoje vi essa parte da entrevista na televisão. E... juro que não entendo o que se passa!
Quem tenha ouvido minimamente o que MFL tem dito do governo de Sócrates nos últimos tempos, percebe que as condicionantes que ela colocou na resposta excluem essa possibilidade.

Este país da treta delira com faits divers. E se não há, inventa-os.
E adormece docemente na propaganda deste governozinho que nos está a pôr uma corda ao pescoço.

Uma coisa garanto: se nas eleições legislativas houvesse apenas dois candidatos - MFL e Sócrates - eu sei claramente em qual nunca votaria.
E a pior coisa que nos podia acontecer era ter um governo de bloco central.

Citando João Gonçalves, do Portugal dos Pequeninos:

"Como era de esperar, aquilo que interessava da entrevista de Ferreira Leite - a explicação de que estamos a fomentar um país irremediavelmente pobre e que o endividamento externo de que não se fala nas tendas da propaganda torná-lo-á ainda irremediavelmente mais pobre do que já é comprometendo, como uma pandemia nacional, o futuro por gerações e gerações - ficou fora das manchetes. O que o lixo tóxico chamado "notícia" quer que conste é, singularmente, que a senhora se "deixou enredar" por causa do "bloco central", que ocorreu um "tropeção na linguagem" e por aí fora. Os serventuários de Santos Silva seguiram aprumadamente as ordens dadas pelo chefe que forneceu logo o mote. Tudo serve para nos distrair do essencial. Coisas de porcos. A peste já cá está."


Indo à fonte:


Blogosferando - 21


No Blog de Direita, da Sábado:

"O Primeiro-Ministro cábula
José Sócrates aparece frequentemente a fazer jogging, a dar entrevistas, a fazer discursos e inaugurações. Tudo actos de propaganda do Governo. As suas intervenções são quase sempre básicas. Não revelam nenhum insight especial sobre a realidade, não revelam estudo nem revelam preparação. O PM limita-se a defender medidinhas de curto prazo cujo único fio condutor é o eleitoralismo. Tudo o que diz parece resultar de reuniões mal preparadas com assessores preguiçosos e de meia dúzia de lugares comuns que terá ouvido nas reuniões do Conselho Europeu ou nos encontros com Hugo Chávez. Em resumo, não há estudo nem trabalho."

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Felinidades

Ultimamente este blogue tem sido invadido por gatos, esse "mamífero digitígrado, da ordem dos carnívoros, tipo da família dos felídeos"... O do cantinho até brinca com o rato e mia...
E... está a apetecer-me ter um gatinho (de preferência, macho). Um bicharoco com poucos meses, para criar, vê-lo crescer, incutir-lhe vícios... :) Sim, os animais ganham maus hábitos.

Lembro-me de, no verão passado, nas férias, o gato lá de casa, nos 15 dias que lá estive, aprendeu a ir para a porta do meu quarto à noite, ficar à minha espera para ter uns mimos, e depois ia embora dormir...
(porque eu mandava. Por ele, ficava ali a noite inteira a ronronar).
Já andei à procura na net, mas parece que só há gatos para dar no Porto. Até vi uns bem giros, de raça finlandesa, mas com valores entre os 180€ e os 300€ e muitos... Nah...

Este agradou-me:

Chama-se Bamboo. E quando a foto foi tirada, em 2006 ou 2007, tinha cinco ou 6 meses...

Entretanto, indicaram-me o F.E.L.I.N.U.S... Vou espreitar...

Quase...

Quando fiz o IRS, há umas semanas, fiquei triste com o resultado. Deu 0,00€.
Era desencorajador. Mas do mal o menos. Significava apenas que o Estado não tinha ficado a enriquecer com os juros dos impostos que me tinha cobrado a mais durante um ano.
Hoje recebi a carta das Finanças. O que virá aí?
Qual não é o meu espanto quando afinal as contas ainda me dão uns trocos. Ainda vou receber 6,57€.
Yuuupppiiieeee!!!
Já dá para ir uma vez ao cinema...

É quase como se tivesse ganho o jackpot do euromilhões... lol

Alarme suíno (versão bovina)

Esta coisa da gripe suína, com tão poucos dias, já cansa!
Esta noite, os noticiários ocuparam 20 minutos a dizer algumas coisas e muito nada.
O alarme que estas notícias provocam é um abuso.
Em vários canais, os jornalistas foram ao aeroporto perguntar às pessoas se iam para o México, se tinham desistido, se mudaram de destino devido a esta paranóia... Notícia? Zero!
Alguém que de facto tenha desistido de ir para o México, ou que pretenda mudar de destino, vai para o aeroporto ao calhas? Sem tratar disso antecipadamente com a agência de viagens?

Quase não referem que não é um vírus que afecta os porcos, mas apenas os humanos, e que se transmite por pequenas gotículas humanas.

Este alarme é anormal por um motivo muito simples: apareceu precisamente quando no hemisfério Norte (onde há mais população) estamos quase no Verão. Ou seja, numa questão de dias, vai desaparecer. Perigoso seria que tivesse surgido no Outono ou no Inverno.

Daqui se depreende que o perigo, neste momento, será que a gripe suína (que curiosamente não atinge os porcos) alastrasse ao hemisfério Sul.

Portanto, isto é um alarmismo manifestamente exagerado.

domingo, 26 de abril de 2009

Antes as mulheres

Miguel Esteves Cardoso no Público do passado 8 de Março, dia da mulher:

"Só quando os homens chegam a uma certa idade é que podem dizer com certeza que as mulheres são melhores do que eles em tudo – mesmo na bola, a carregar pianos, a lutar com jacarés ou nas outras coisas em que ganhávamos quando éramos mais novos e brutos e fortes.
Quando se é adolescente, desconfia-se que elas são melhores. Nos vintes, fica-se com a certeza. Nos trintas, aprende-se a disfarçar. Nos quarentas, ganha-se juízo e desiste-se. Nos cinquentas, começa-se a dar graças a Deus que sejam assim. Os homens que discordam são os que não foram capazes de aprender com as mulheres (por exemplo, a serem homenzinhos), por medo ou vaidade ou estupidez. Geralmente as três coisas.
Desde pequenino, habituei-me que havia sempre pelo menos uma mulher melhor do que eu. Começou logo com a minha linda e maravilhosa mãe, cuja superioridade – que condescendia, por amor, em esconder de vez em quando – tem vindo a revelar-se cada vez mais. As mulheres são melhores e estão fartas de sabê-lo. Mas, como os gatos, sabem que ganham em esconder a superioridade. Os desgraçados dos cães, tal como os homens, são tão inseguros e sedentos de aprovação que se deixam treinar. Resultado: fartam-se de trabalhar e de fazer figuras tristes, nas casas e nas caças e nos circos. Os gatos, sendo muito mais inteligentes, acrobatas e jeitosos, sabem muito bem que o exibicionismo vão leva à escravatura vil.
Isto não é conversa de engate. É até um tira-tesões. Mas é a verdade. E é bonita."

sábado, 25 de abril de 2009

35 anos depois...


Passam hoje 35 anos sobre o 25 de Abril de 1974.
Portanto, é dia de cerimónias comemorativas um pouco por todo o país, e também na Assembleia da República.


Só ouvi os minutos finais da intervenção de Paulo Rangel (PSD) e o início da de Marques Júnior (PS). O primeiro bradava contra as muitas formas como actualmente se coarctam as liberdades. O segundo, começou com um discurso redondo. Certamente concluiu com loas à revolução. O costume.

O CDS, pela voz de Teresa Caeiro (e segundo o Público), defendeu que o melhor para Portugal era ter tido uma transição de regimes, e não a revolução. Ou seja, se agora estivesse a chover não estaria sol...


Os discursos nestas comemorações cansam. Sempre a mesma coisa. Parece que o 25 de Abril é uma taça que está na prateleira, e à qual é necessário lá ir uma vez por ano puxar o lustro.

Do pouco que ouvi, só Paulo Rangel e Cavaco Silva olharam para o presente. Só melhorando o nosso presente é possível respeitar o que aconteceu há 35 anos. O resto são apenas discursos gongóricos.


Entretanto, em Santa Comba Dão, terra de Salazar, é hoje inaugurada uma praça com o seu nome. Nada de especial, mas algum país político agita-se com isto. A terreola tem todo o direito de se aproveitar do seu "famoso" para ganhar alguma notoriedade, turismo e receitas.
Para além deste aspecto, que mal tem haver um museu sobre Salazar? A história é o que foi, não pode ser alterada. E quanto melhor a conhecermos, menos riscos haverá de repetir os seus erros.


A liberdade que o 25 de Abril trouxe só é celebrada e respeitada convenientemente se formos capazes de combater as pequenas restrições à liberdade que nos vão impondo, silenciosamente, no dia-a-dia.
É tão bom trabalhar com pessoas novas, com a cabeça limpa, com a aura limpa, sem espíritos retorcidos.
Sem medo de ir em frente, de decidir, de desbloquear situações.
Centrados em objectivos e não em formalismos sem sentido.

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Parafraseando - 40

Algumas frases sobre livros:

"É bom ter livros de citações. Gravadas na memória, elas inspiram-nos bons pensamentos."
Winston Churchill

"Os livros podem ser divididos em dois grupos: aqueles do momento e aqueles de sempre."
John Ruskin

"Os meus filhos terão computadores, sim, mas antes terão livros. Sem livros, sem leitura, os nossos filhos serão incapazes de escrever - inclusive a sua própria história."
Bill Gates

"Há livros de que apenas é preciso provar, outros que têm de se devorar, outros, enfim, mas são poucos, que se tornam indispensáveis, por assim dizer, mastigar e digerir."
Francis Bacon

Dia Mundial do Livro

Celebra-se hoje, mas é sempre que nos sentimos abraçados por algumas palavras espalhadas numa qualquer folha de papel agregadas num livro.
É sempre que alguém construído na nossa imaginação pelas palavras de um qualquer autor tem algo a dizer-nos. Nos interpela. Nos questiona. Nos transmite sensações. Passa a viver em nós.
Estar cercado de livros é ter muitos mundos à mão. É ser livre.

Algumas notícias sobre este dia no SOL e na TSF.

terça-feira, 21 de abril de 2009

A entrevista

A entrevista de Sócrates na RTP...
Não esclareceu nada.
Não respondeu a nada.
O primeiro-ministro até se arvorou em jornalista, perguntando "sabiam que...?". O tom paternalista, a pro-actividade das medidas de combate à crise...

O TGV vai ter impacto no emprego e na economia. Vou ali rir e já volto.
O caso Freeport (ou, para ele, "Freepor"...) não passa de uma "tentativa de assassinato político". Não respondeu a uma única pergunta de forma esclarecedora sobre este assunto.
Quando questionado sobre os processos contra jornalistas, a resposta: "eu não movi processos judiciais contra jornalistas. Eu movi processos judiciais contra pessoas que me difamaram." Hummm...

A caricatura no blogue Bico Calado, publicada no jornal Meia Hora, vem mesmo a calhar...


segunda-feira, 20 de abril de 2009

Truque europeu

(actualizado em 22 Abril)
A polémica estalou nas eleições europeias mais uma vez, e agora devido à Lei da Paridade. Guilherme Silva, deputado do PSD pela Madeira, terá afirmado o seguinte: "Há duas candidatas que não vão assumir funções no Parlamento [Europeu], pelo que Sérgio Marques será 6º e, como tal, a sua eleição não estaria em causa".
Entretanto, o deputado já desmentiu a afirmação, mas vamos ao que interessa:
Se a lei permite este truque, é porque a lei foi feita assim pelos deputados na Assembleia da República. Portanto, este "espanto" é, no mínimo, uma sem vergonhice.
Por outro lado, ouvir o PS, pela voz de Edite Estrela, clamar pureza nesta matéria é confrangedor. Então não é este PS, de cujas listas às europeias faz parte a própria Edite Estrela, que tem Ana Gomes e Elisa Ferreira também como candidatas às câmaras de Sintra e do Porto? Isso dá o quê?
Como uma vez alguém disse, é preciso ter topete.

Depois queixam-se de falta de credibilidade e mais não-sei-quantos...

Entretanto, Ana Gomes escreve isto no Causa Nossa:
"Sou, sim, candidata ao PE e espero ser eleita. Serei também candidata à Câmara de Sintra nas eleições que decorrerão mais tarde. Sem falsidade, sem duplicidade, sem querer enganar ninguém, com total transparência assumi as duas candidaturas.
Eu, que nunca acumulei quaisquer cargos - com muita honra, sou formada na escola de serviço público do MNE - já disse e redisse que nunca acumularei os dois cargos, se os munícipes de Sintra me elegerem Presidente da sua Câmara. Nesse caso, abandonarei o PE e dedicar-me-ei exclusivamente à Câmara de Sintra."

Vital Moreira, cabeça de lista do PS ao Parlamento Europeu, escreve no mesmo blogue:
"A ver se eu percebo bem: se alguém, depois de eleito eurodeputado, se candidatar a (ou aceitar) outro cargo político e por causa disso deixar (ou não) o Parlamento europeu, como sucedeu várias vezes, não há nisso nada de mal. Mas se um candidato a eurodeputado, anunciar antecipadamente, por razões de transparência democrática, a sua intenção de se candidatar proximamente a outro cargo político, então tudo mal. É isto, não é?"

Ou seja... esclarecedor.
Eles acham mesmo que nós, cidadãos eleitores, somos parvos.

sábado, 18 de abril de 2009

Uma poética da geografia

Há alguns dias, este livro caiu-me literalmente nas mãos:


... e violei a minha auto-promessa de controlar os ímpetos consumistas livreiros.
A resenha impôs-me a compra.
Um desejo de partir?
De conhecer outras geografias?
Outras vidas?
Novos horizontes?

Uma resenha:
"Viajar tornou-se, não apenas uma espécie de apelo da humanidade civilizada e com um mínimo de meios económicos, mas também uma vitória sobre a eternidade; porque a viagem nos salva do que perdura e que não é tão eterno como julgávamos. Pertencendo a um mundo em que cada minuto tem um preço e uma medida exacta, o viajante recupera a poesia, a inutilidade, os monumentos em ruínas, os papéis que hão-de ser arquivados fora da memória, as varandas dos hotéis, os instantes fugidios de prazer e de clandestinidade."

quinta-feira, 16 de abril de 2009

Absolutamente...!

Vejam, ouçam, maravilhem-se com esta improvável voz no Britains Got Talent 2009:

Susan Boyle
(versão legendada aqui)

Brutal!
Que voz!
Que inspirador!
Até me vieram as lágrimas aos olhos...

E, na edição de 2007, o também inesperado Paul Potts.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

O que é um gato?

Enviaram-me hoje um mail sobre o FLiP (Ferramentas para a Língua Portuguesa), uma ajuda para escrever em bom português.
Num momento de insanidade mental, decidi ir à procura do significado de algumas palavras banais, uma das quais "gato". Sim, gato.
Para quem não sabe o que é um gato, cá fica a definição:

s. m.
1. Zool. Mamífero digitígrado, da ordem dos carnívoros, tipo da família dos felídeos, de que há várias espécies, uma das quais é o gato doméstico, que destrói os ratos.

Esclarecido.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Dia de anúncios

No dia em que o PSD apresentou Paulo Rangel como seu cabeça de listas às europeias, ficamos a saber que o PIB nacional vai recuar 3,5%.

O candidato do PSD parece-me bom, apesar de ter uma imagem de intelectual. Vamos ver em campanha. Que antecipo duríssima. Portanto, interessante.
E... mais uma vez, um anúncio do PSD é abafado por outra notícia. Desta feita, a que já se esperava. E que foi anunciada pelo descredibilizado governador do bando de Portugal, Vítor Constâncio.

Entretanto, vou ali ao séc. XIX ver Portugal através dos olhos de Eça de Queirós n'"Os Maias".

Perceber de justiça portuguesa

No DN, João Miguel Tavares explicou a justiça portuguesa em apenas 20 pontos:
"Inteiramente gratuito, eis o guia com que sempre sonhou"

É bom quando alguém explica as coisas...

segunda-feira, 13 de abril de 2009

Evoluindo com Darwin


A exposição sobre a evolução de Darwin está notável.
Ao mesmo tempo que relata o percurso do cientista (uma espécie de biografia), apresenta a evolução do seu pensamento, as dúvidas que se pôs, as questões que o ocuparam durante duas décadas, os debates que foi tendo com pessoas improváveis (caçadores, agricultores...), a forma como foi limando todas as arestas da sua revolucionária teoria para não ser destruída em dois tempos, como aconteceu com outras que surgiram na altura. Lembremo-nos do tempo em que Darwin viveu (séc. XVIII) ao nível das mentalidades, do desenvolvimento científico, da religiosidade...
É muito interessante seguir a forma como ele articulou a teoria e a foi construindo, passo a passo, fundamentando-a, retirando-lhe fragilidades. Por exemplo, quando avançou com a teoria da "selecção natural", Darwin não abordou a questão da origem do Homem. Deixou essa descendência dos símios para um momento posterior.
Toda a evolução e desenvolvimento científico posteriores só vieram confirmar que Darwin tinha razão. Está aí a genética, a botânica, a imunologia, a microbiologia...

Antes de algumas fotos da exposição, o folheto da mesma:








Curiosa a forma como o livro a que não dei grande importância (O Pecado de Darwin) me guiou em algumas partes desta exposição... Estão lá alguns contemporâneos e acompanhantes de Darwin na sua viagem no Beagle, alguns episódios...

Os candidatos-fantasma do PS

À excepção do PSD, já todos os partidos apresentaram os seus candidatos às eleições europeias. Bem ou mal, há candidatos europeus para todos os gostos. Há os experientes/repetentes. Há os novatos. Há os que irão dar um novo rumo às suas carreiras políticas.
O PS - de forma descarada - tem a particularidade de apresentar candidatos-fantasma, chamemos-lhe assim. Refiro-me, concretamente, a Ana Gomes e Elisa Ferreira. Estas notáveis socialistas são, também, as respectivas candidatas às câmaras de Sintra e do Porto.

Algumas questões mais ou menos pertinentes se levantam:
Primeira pergunta: elas são de facto candidatas a deputadas europeias ou candidatas às presidências das câmaras em causa? Que eu saiba, os cargos são incompatíveis...
2 - se forem eleitas para o Parlamento Europeu em Junho, abdicam das candidaturas autárquicas em Setembro/Outubro?
3 - ou, pelo contrário, vão para Bruxelas/Estrasburgo pensar em Sintra e no Porto? Isto é, aplicar aquele princípio da gestão que reza "pensar global, agir local", até serem eleitas para as respectivas autarquias?
4 - estarão elas apenas a pensar na sua vidinha, garantindo assim que têm uma ocupação para os próximos anos?
5 - ao apresentarem-se como candidatas autárquicas, e concorrendo logo de seguida para Bruxelas, isso não significa que não acreditam que possam ganhar as eleições a Rui Rio e a Fernando Seara?

Uma coisa parece-me certa: Rui Rio e Fernando Seara, eleitos inesperadamente há oito anos para o Porto e para Sintra, podem ficar descansados. Mudaram a forma de fazer política nesses concelhos. Já foram reeleitos e mostraram o que valiam como presidentes de câmara. Podem deixar ficar os papéis para mais um mandato. Ainda bem!

Eu, cidadão português, não quero ser representado por ninguém que escreve e tem atitudes políticas destas: "o PSD de verdade". De vez em quando, Ana Gomes passa-se.

Blogosferando - 20


No Blog de Direita, na Sábado, com uma pontinha de ironia:

"Um grupo de socialista diz que o sistema capitalista parece ter entrado em ruptura. Os mesmos socialistas queixam-se que os “direitos conquistados durante gerações, pelos trabalhadores” foram “gradualmente postos em causa”. Não percebo porque é que estes socialistas estão preocupados. O fim do capitalismo vai acabar com a exploração dos trabalhadores. Desta vez os trabalhadores não precisarão de gerações para conquistar "direitos". Mal o capitalismo acabe, e está para breve, os trabalhadores serão contemplados por uma infinidade de direitos."

sábado, 11 de abril de 2009

Evolução by suricatas

video

Na exposição "A evolução de Darwin", patente na Fundação Calouste Gulbenkian, estão estas eléctricas e simpáticas suricatas.
A exposição vale bem a pena!
E relembrou-me algumas passagens de um livro que li há algumas semanas: "O pecado de Darwin".
Num destes dias ponho mais fotos da exposição... Hoje foi só para abrir o apetite.

Promoções profissionais fazem mal à saúde

Na TSF:

As promoções no trabalho aumentam o stress mental e tiram tempo aos felizes contemplados para irem a consultas médicas, segundo a conclusão de um estudo realizado por economistas e psicólogos de uma universidade britânica.
Os investigadores da Universidade de Warwick, no centro do Reino Unido, constataram que uma promoção profissional provoca mais 10 por cento de stress e reduz em 20 por cento o tempo para ir ao médico.
A equipa quis saber se uma melhoria do estatuto profissional tornaria as pessoas mais felizes e saudáveis, em consequência da melhoria da auto-estima pessoal.
Utilizando dados recolhidos no Reino Unido de uma amostra de mil indivíduos promovidos no seu trabalho entre 1991 e 2005, os investigadores não comprovaram essa hipótese e, antes pelo contrário, observaram uma maior pressão psicológica nas suas cobaias.
«Obter uma promoção no trabalho não é tão fantástico como se poderia julgar», afirmou Chris Boyce, um dos autores do estudo.
«As nossas investigações mostram que a saúde mental dos chefes se deteriora tipicamente depois de serem promovidos e de um modo que vai além do curto prazo», disse.
Por outro lado, sublinhou, «não há sinais de melhoria da saúde, além de que diminui as visitas aos consultórios médicos, o que deve ser mais motivo de preocupação do que de celebração».
Estas conclusões contrariam a ideia generalizada de que a melhoria de estatuto, através de uma promoção, resultaria directamente numa melhoria da saúde da pessoa, devido a um sentido acrescido de controlo da vida e de auto-estima.

sexta-feira, 10 de abril de 2009

Citizen Obama



"And I've said before that one of the great strengths of the United States is -- although as I mentioned, we have a very large Christian population, we do not consider ourselves a Christian nation or a Jewish nation or a Muslim nation; we consider ourselves a nation of citizens who are bound by ideals and a set of values. I think Turkey was -- modern Turkey was founded with a similar set of principles, and yet what we're seeing is in both countries that promise of a secular country that is respectful of religious freedom, respectful of rule of law, respectful of freedom, upholding these values and being willing to stand up for them in the international stage. If we are joined together in delivering that message, East and West, to -- to the world, then I think that we can have an extraordinary impact. And I'm very much looking forward to that partnership in the days to come."

Parte da conferência de imprensa de Obama e do presidente turco Abdulah Gül (transcrita aqui)

(via Esgravatar)

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Porto de honra

Ferreira Fernandes, no DN, faz este "elogio ao grande FCPorto":

"O FC Porto não é o melhor clube português no futebol internacional. É o único. É o único que, antes de um jogo contra o Manchester United, podemos esperar que jogue entre iguais. Não esperar de esperança beata - porque, essa, qualquer presidente aldrabão no universo crente que é o futebol pode prometer.
Falo de esperança legítima num clube que vai em mais de duas décadas de carreira como o melhor português e, sobretudo, atingindo aquela constância de qualidade que leva o FC Porto a ser tratado entre os maiores como um dos seus. É necessário que isso seja saudado para além do futebol. Porque, em Portugal, no campeonato dos factos contra a retórica, ganha quase sempre a conversa barata. Ontem, um dos nossos raros campeões de factos (e não de lábia) voltou a cumprir. Quem manda no restante futebol nacional que aprenda com quem foi buscar os, então, desconhecidos Hulk, Fernando e Cissokho... E o que há para aprender é isto: há quem saiba fazer e há quem não. Estes últimos deviam dedicar-se ao curling, desiludiriam menos portugueses."

quarta-feira, 8 de abril de 2009

Páginas cruzadas

Que quantidade de livro é preciso ler para concluir se devemos continuar a leitura ou abandoná-lo?
82 páginas? 4 capítulos? Ir espreitar duas páginas a meio do livro?
É esta dúvida que me assalta enquanto vou lendo "O Labirinto", de Pano Karneziz.

Num fantástico gesto de impulsividade, comprei o livro devido à capa. Melhor, sobrecapa. A capa original nunca me convenceu.

Entretanto, já tomei uma resolução: NÃO comprar mais livros até à Feira do Livro...
Se bem que já ando com um em vista: "A mão esquerda de Deus", de Pedro Almeida Vieira. O título gera curiosidade, tal como a resenha:
"Baseado na fábula do falso núncio de Portugal – considerada verídica durante vários séculos, e acreditada por homens como Voltaire –, A Mão Esquerda de Deus é um romance empolgante que reconstrói a vida aventureira e heterodoxa de Alonso Perez de Saavedra, o andaluz que ousou tornar tornar-se, através de burlas e falsificações, o primeiro Inquisidor Inquisidor-Geral de Portugal Portugal, no reinado de D. João III."

Parafraseando - 39

"A esperança é a maior e a mais difícil vitória que um homem pode ter sobre a alma."

Georges Bernanos

Coisas da Europa

Há alguns dias, Mário Soares disse isto de Durão Barroso: "homem inteligente, mas rosto do passado". E agarrou-se ao facto de Barroso ter recebido Bush, Blair e Aznar na Cimeira dos Açores que deu início à guerra do Iraque. Com esta dica, pretendia afastá-lo de um segundo mandato como presidente da Comissão Europeia.
Só me lembro de uma palavra para adjectivar Soares: ressabiamento.

Entretanto, apesar do stereo socialista sobre o assunto, no Parlamento, hoje, Sócrates confirmou que apoiará Barroso para um segundo mandato, mesmo que os socialistas sejam vencedores nas eleições europeias. Um "apoio patriótico".

E... só falta o PSD definir quem são os seus candidatos á eleições de Junho. O CDS anunciou hoje, via sms, os seus candidatos ao Parlamento Europeu: Nuno Melo, Diogo Feyo e Teresa Caeiro. Apenas fico com pena por Feyo abandonar a Assembleia de República, onde é líder parlamentar do CDS: um dos melhores e mais bem preparados.
A nível europeu, o CDS tem já o meu voto.

terça-feira, 7 de abril de 2009

Sinais de alerta

Pacheco Pereira, na Sábado desta semana:
"Não é a voz grossa que me preocupa, são a miríades de vozes quase ciciadas, que abundam por todo o lado. Aqui as paredes falam e escutam: cuidado, respeitinho, quem se mete com o poder, leva."

Quando leio isto (e, de facto, tem razão!), quase me sinto aliviado ao ver um episódio que parece ter-se tornado infelizmente moda: jornalistas a atirar sapatos a presidentes (dos EUA) e a ministros (na Índia).

Parafraseando - 38

"A natureza e os livros pertencem aos olhos que os vêem."

Ralph Emerson

O melhor filme de sempre!

Dando uma vista de olhos nas programações dos principais canais portugueses, há um filme que é exibido vezes sem conta! Ou então, é um filme com inúmeras sequelas e "prequelas"...
O nome do filme? Já devem ter ouvido falar:

"A definir"

Ainda não tive oportunidade de ver a saga completa, mas um dia hei-de ver...

domingo, 5 de abril de 2009

Cantinho do poeta - 52

Pela primeira vez neste cantinho, poesia de David Mourão-Ferreira:

E por vezes as noites duram meses

E por vezes os meses oceanos
E por vezes os braços que apertamos
nunca mais são os mesmos E por vezes

encontramos de nós em poucos meses
o que a noite nos fez em muitos anos
E por vezes fingimos que lembramos
E por vezes lembramos que por vezes

ao tomarmos o gosto aos oceanos
só o sarro das noites não dos meses
lá no fundo dos copos encontramos

E por vezes sorrimos ou choramos
E por vezes por vezes ah por vezes
num segundo se envolam tantos anos.

Sem euromilhões

Apesar do anúncio fantástico, o euromilhões não veio calhar a minha Exa. Com muita pena vossa, e ainda mais minha.
Aos amigos que se preparavam para pedir financiamentos recomendo: ide pedir à Santa Casa da Misericórdia. Ou ao Banco Alimentar.
De qualquer forma, há que investir na economia nacional (mesmo que seja comprando só bens importados...). Vai daí, este brinquedo já cá canta:

E, graças a um bonito vale de desconto, uma Nespresso reclamará em breve um espaço neste humilde aposento. Não tarda, vou fazer "momentos Nespresso": querem cá vir beber um cafezinho? Não há é Georges Clonneys para ninguém. Mas será (o cafezito) sempre um pretexto para juntar amigos :)

Turquia na UE, sim

A notícia no SOL:

"Obama afirmou que o Ocidente deveria estabelecer uma cooperação mais próxima e eficaz com os países islâmicos e aproveitou para dizer que deixar a Turquia entrar na UE seria um bom exemplo deste esforço.
França, Áustria e outras nações opõe-se aos esforços da Turquia para se juntar à União europeia. Os Estados-membros exigiram àquele país que garantisse mais direitos às minorias, que limitassem o seu poder militar e atribuíssem mais poderes aos sindicatos.
A maioria da população turca é muçulmana. Obama visitará o país na segunda e terça-feira."

Subscrevo!

Felicidade by Coca-cola

A Coca-Cola voltou aos grandes anúncios. Já há alguns dias, vi o original espanhol. Ontem vi o mesmo anúncio, agora em português. Uma enorme diferença. O espanhol inspira, o português confrange.

Fica aqui o espanhol:


Estás aqui para ser feliz.

sábado, 4 de abril de 2009

Viagens com palavras - 5


"Viajar só é necessário às imaginações curtas."


Sidonie Colette

Twittadas

Para além de ter alguns ilustres desconhecidos - dos quais me orgulho - a seguir-me no twitter, agora chegou a onda dos VIPs... o primeiro foi o Markl.
Depois veio Pedro Quartim Graça. Agora é a vez do seu Partido da Terra.
O próximo deve ser a Presidência da República... :)

Volta ao mundo em curtas - 4

1 - Google quer comprar Twitter
"Depois do YouTube, o gigante da Internet prepara-se para alargar ainda mais o seu ciber-império através da compra do popular site de micro-blogging Twitter."

2 - E não é que é verdade...?
"Há uns anos, as gaffes de George W. Bush ou de Jacques Chirac (outro especialista) enchiam páginas de jornais, geravam comentários e opiniões do mais agressivo que há. Nos tempos que correm, Barack Obama e a sua mulher Michelle podem dar-se ao luxo de dar pontapés no protocolo, podem dizer gracinhas sem piada nenhuma, sob o disfarce de quererem parecer gente descontraída, e não se passa nada." (via Corta-fitas)

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Cimeira do G 20

A cimeira que começou a mudar o mundo aconteceu em Londres.
Quem lê esta frase, certamente pensará que enlouqueci. Mas, citando Obama (o deus do momento), julgo que esta cimeira foi um “ponto de viragem” no combate à crise.

Antes de mais, uma frase de Jorge Almeida Fernandes, na análise que faz no Público: "Que é feito do G8? A centralidade da cimeira G20 é um facto novo. Traduz uma mudança de fundo não só na economia mundial mas também na cena internacional". (Vale a pena ler todo o artigo).

Os líderes mundiais chegaram hoje a um “acordo de acção global” para reactivar a economia internacional, que passa pela reforma do sistema bancário (que incluirá a penalização dos paraísos fiscais), estímulos ao crescimento económico, a revisão das instituições internacionais, o apoio ao comércio global e novos fundos para o combate à pobreza. (PÚBLICO)

Pormenorizando um pouco as conclusões do encontro de Londres, temos:
- “profunda reforma do sistema bancário” a nível internacional,
- criação de uma lista de paraísos fiscais que não cumprem as regras de transparência – tarefa que estará a cabo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE).
- fixar novas regras para a atribuição de prémios aos gestores financeiros,
- reforçar a capacidade de intervenção das instituições financeiras internacionais.
- retomar as negociações para a liberalização das trocas (um das principais reivindicações dos países emergentes).
- o FMI poderá vender parte das suas reservas de ouro para financiar a ajuda ao desenvolvimento dos países mais pobres

Irão as conclusões desta cimeira resolver a crise já amanhã? Claro que não. As revoluções francesa e americana não aconteceram num dia. A revolução industrial não aconteceu num dia. O renascimento não aconteceu num dia. Todo o edifício financeiro internacional, criado nos anos 40 em Bretton Woods, demorou três anos até ao seu resultado final. Portanto, este é o início de um processo.

João César das Neves, hoje no Destak, escrevia o seguinte: “o principal propósito da reunião é levantar o moral e elevar as expectativas da opinião pública mundial. Isso constitui um dos factores mais decisivos na actual crise. O nervosismo e até o pânico são em grande medida a causa desta recessão, sendo esse o único elemento que pode transformar um choque económico num desastre global. Se desta reunião sair uma perspectiva favorável e credível, os resultados serão excelentes.”
Se olharmos para as reacções dos mercados financeiros um pouco por todo o mundo, vemos que a resposta agradou: as bolsas subiram como não acontecia há meses.

Durão Barroso declarou que na cimeira sentiu-se o “efeito Obama”. Do que ouvi das intervenções do presidente americano, não disse nada de extraordinário – Gordon Brown pareceu-me bem mais concreto – mas, de facto, as impressões são uma coisa extraordinária e mudam comportamentos. Seja na vida das pessoas, seja nas relações entre Estados. E parece que, neste momento, Obama é o Midas mundial.
(Sobre a “magia” Obama escreverei num destes dias no Palavras Impressas, a propósito de “Dez Discursos Históricos”, que acabei de ler há alguns dias).

Países que constituem o G-20: Argentina, Austrália, Brasil, Canadá, China, França, Alemanha, Índia, Indonésia, Itália, Rússia, Arábia Saudita, África do Sul, Japão, México, Coreia do Sul, Turquia, Reino Unido, EUA e países da UE. Ou seja, o grupo dos países mais poderosos que juntos representam 85% da economia mundial. (fonte: Destak)

Comunicado oficial da cimeira aqui.
Dossier do Público sobre a cimeira aqui.

Nota pessoal: não deixa de ser empolgante saber que vivemos num tempo em que uma nova arquitectura mundial está a ser concebida e a emergir.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Herman José de topo

Herman José acabou de dar uma entrevista notável na TVI 24, no "Cartas na Mesa" da Constança Cunha e Sá.
Inteligente, livre, bem-humorado, falou da vida, contou episódios engraçados, criticou a sociedade, viajou, fez-nos viajar... foi um Herman José a grande nível.

Sorte em dia de azar

E finalmente o Sr. Euromilhões lembrou-se de mim...
Após anos a jogar, com semanas de desilusão após desilusão, hoje foi o meu dia de sorte: 4 números e 2 estrelas. Será que já me posso considerar excêntrico?
Um prémio de 4 dígitos (esqueçam os cêntimos) é simpático...

Blogosferando - 19

No Mar Salgado:

"Os portugueses não acreditam que as coisas possam piorar dramaticamente. Isto deve-se à naturalização que fazemos do pessimismo. O nosso pessimismo é sobretudo conformista e por isso é tão pouco adaptável às novas circunstâncias. O governo funciona como uma Empresa de Eventos S.A, com muitos protocolos, lágrimas ao canto do olho e miragens ferroviárias. Não nos muda e isso é o que queremos. Claro que não se esquece de distribuir dinheiro pelas autarquias socialistas (esta semana foi pelas escolas) e isso ajuda. Faz parte do jogo, mas não é o essencial.
MFL aposta na memória do bom senso: dizer a verdade e receitar prudência. Os portugueses ouvem-na, ao contrário do que fez crer a Empresa de Eventos S.A. (MFL referia-se ao conjunto PS-governo). O problema é que o nosso conformismo, a nossa indolência, faz com que a ouçamos como um estroina ouve um pai: ainda não é tempo de seguir os conselhos.
As águas estão cada vez mais claras porque MFL conseguiu contrapor ao brilho e à superfície o que está debaixo: o fundo. Resta saber se o nosso conformismo, atópico e permanente, suporta a visão. Não me parece."

Freeport: perguntas sem resposta

Mário Crespo, no JN, faz uma série de perguntas sobre o caso Freeport.
Por exemplo...
"Porque é que o cidadão José Sócrates ainda não foi constituído arguido no processo Freeport? Porque é que Charles Smith e Manuel Pedro foram constituídos arguidos e José Sócrates não foi? Como é que, estando o epicentro de todo o caso situado num despacho de aprovação exarado no Ministério de Sócrates, ainda ninguém desse Ministério foi constituído arguido? Como é que, havendo suspeitas de irregularidades num Ministério tutelado por José Sócrates, ele não está sequer a ser objecto de investigação? Com que fundamento é que o procurador-geral da República passa atestados públicos de inocência ao primeiro-ministro? Como é que pode garantir essa inocência se o primeiro-ministro não foi nem está a ser investigado? Como é possível não ser necessário investigar José Sócrates se as dúvidas se centram em áreas da sua responsabilidade directa?"

Vale a pena ler o artigo completo aqui.

Grande mentira!

Hoje Sócrates deu tolerância de ponto para os funcionários públicos na tarde do dia 9 de Abril, quinta-feira santa.
O senhor primeiro-ministro podia ser mais discreto.
E... se esta for a sua mentira para hoje, dia 1 de Abril? :)